22 de agosto de 2010

O tal do tempo...


A vontade é impotente perante o que está para trás dela. Não poder destruir o tempo, nem a avidez transbordante do tempo, é a angústia mais solitária da vontade.


1 comentários:

Juliana Matos disse...

É verdade. Somos limitados ao tempo. :(
Amei. *-*